Cirurgia ocular laser: quais são os riscos e os benefícios?

25 de setembro de 2017
tela3blog.png

Para que consigamos enxergar corretamente o que existe ao nosso redor é necessário que as imagens sejam captadas pelo olho e focalizadas no centro da retina (região que fica no fundo do olho). Para isso, todos os elementos do olho (córnea e cristalino, por exemplo) precisam atuar em conjunto. Quando o tamanho ou formato do olho não permite essa atuação, a imagem pode ser formada antes ou depois da retina. O resultado é uma falta de nitidez na visão, embaçamento e/ou distorção das imagens.

Dentre as doenças oculares associadas com o formato/tamanho do olho encontram-se a miopia, hipermetropia, astigmatismo. Na miopia a imagem focaliza antes da retina e imagens distantes tendem a ficar pouco nítidas. Já na hipermetropia, a focalização ocorre após a retina e imagens próximas são as que apresentam problemas de nitidez. No astigmatismo a córnea apresenta um formato irregular e as imagens focalizam em diversos pontos da retina, levando a distorções tanto de imagens próximas como distantes.

Todas essas enfermidades podem ser amenizadas com o uso de óculos. Mas há também a opção de se fazer uma cirurgia a laser. Vamos conhecer mais sobre esse procedimento e sobre os riscos da cirurgia ocular a laser?

Aplicações da cirurgia à laser

A cirurgia ocular à laser pode ser usada para tratar diversos problemas de visão. A miopia, hipermetropia, astigmatismo, por exemplo, podem ser remediados com esse tipo de procedimento médico. Com isso é possível eliminar o uso de óculos ou, ao menos, reduzir o grau da lente usada.

Quais os riscos da cirurgia ocular a laser?

Há dois tipos principais de cirurgias a laser usadas pelos oftalmologistas: a PRK e a Lasik.
Na PRK (Ceratectomia fotorrefrativa) o laser é aplicado diretamente sobre a superfície da córnea. Com essa técnica a visão irá demorar mais tempo para ficar totalmente recuperada do que no caso da LASIK. Algumas pessoas ficam com a visão embaçada entre um e 15 dias e o resultado é alcançado após três meses da operação. A visão embaçada é um dos riscos da cirurgia ocular à laser do tipo PRK.
O LASIK atua em camadas internas da córnea. Após a aplicação de um colírio anestésico é feito um pequeno corte na superfície da córnea para levantar uma camada de tecido. A seguir se usa um laser para remodelar a forma da córnea. Ao final da cirurgia essa camada de tecido é retornada para o lugar sem que seja necessário aplicar algum ponto.

Dentre os riscos da cirurgia ocular à laser encontram-se:
• Sub-correção: o laser pode remover pouco tecido e, com isso, não se obtém a visão perfeita que se desejava. Nesse caso uma segunda cirurgia pode permitir que o objetivo inicial seja atendido;
• Correção excessiva: o laser retira mais tecido do que deveria. Essa situação é mais difícil de ser corrigida;
• A visão pode retornar ao estado apresentado antes da cirurgia;
• Perda de visão ou mudanças visuais;
• Desenvolvimento de astigmatismo.
Entre em contato com uma clínica de olhos e saiba mais sobre os riscos da cirurgia ocular a laser

Você possui miopia, astigmatismo ou hipermetropia, mas gostaria de parar de usar óculos? A cirurgia a laser pode ser uma boa opção. Se você estiver apreensivo quanto aos riscos da cirurgia ocular a laserentre em contato com a melhor clínica de olhos da sua região. Os oftalmologistas irão avaliar qual o melhor procedimento a ser tomado e qual é o mais seguro para você.

logo-COVM-md-branco

Rua Pedro de Toledo, 80
1º andar - Vila Mariana
04039-000 - São Paulo
Agendamento de Consultas:
(11) 3053-8828 ou
WhatsApp: (11) 96192-4271

COVM nas Redes

Copyright COVM 2017. Todos os direitos reservados